Vai viajar de avião em 2019? Cuidado, o voo tem grandes chances de ser cancelado

170

A expectativa é que até 33 mil partidas sejam desmarcadas em todo o mundo diariamente. Se você viaja bastante de avião, prepare-se. É que 2019 pode ser o ano mais confuso em se tratando de voos internacionais.

E olha que 2018 foi bem complicado para este setor: mais de 10 milhões de pessoas foram consideradas aptas e terem os voos compensados. Para este período, a expectativa é que cerca de 2 bilhões de passageiros tenham algum desconforto em 2019.

Para se ter uma ideia, até 33 mil voos diários podem ser interrompidos em todo o planeta.  Quem divulgou os dados foi a AirHelp, empresa líder no mundo quando o assunto é compensação de voos.

Qual o motivo de tanto caos?

Segundo a empresa, uma das principais justificativas para o problemão está na saída do Reino Unido da União Europeia. Greves já estão sendo previstas em companhias aéreas de grande porte, assim como escassez de profissionais e horários abarrotados.

“A incerteza do Brexit, novas greves aéreas, falta de pilotos e controladores de tráfego aéreo, bem como horários congestionados na maioria dos aeroportos europeus – acreditamos que os passageiros devem ter mais um ano de atrasos. Dificilmente os passageiros estão familiarizados com seus direitos e reivindiquem o que é legalmente deles”, explicou a diretora de comunicação da AirHelp, Paloma Salmeron.

Reflexos no Brasil

Os voos mais afetados devem ser os que tem como destino a Europa, mas o Brasil não está livre do sufoco. Por aqui, quase 15 milhões de pessoas enfrentaram voos atrasados.

Neste ano, a previsão é que 16,5 milhões de passageiros sejam afetados. Este salto no número representa aumento de 45 mil passageiros diariamente.

Se o crescimento continuar desta forma, pode ser que mais de 820 mil voos comecem a partir do Brasil. Isto representa quase 2,5 mil voos diários. Consequentemente, com mais aviões no céu – ou tentando voar, mais atrasos podem surgir.

O número de aviões pode passar dos 132 mil (360 aviões a mais). E os números devem continuar crescendo mesmo. A Boeing acredita que sejam necessários 637 mil pilotos a mais durante os próximos 20 anos.

“E enquanto as companhias aéreas negligenciam a solução desses problemas, os viajantes modernos devem procurar seus direitos e certificar-se de que eles sejam tratados de maneira correta ao sofrerem com atrasos e cancelamentos.”

É possível evitar os cancelamentos?

Esta pergunta é difícil de responder. O que sabemos é que é possível tentar não passar por esse problema se você optar por épocas com menos voos. No Brasil, por exemplo, dezembro é o mês mais procurado para viagens, principalmente perto de datas comemorativas.

Os dados levaram em consideração os últimos cinco anos e ainda segundo os números, a superlotação nos aeroportos só mudou de mês em 2016, quando o Carnaval foi o recordista de passagens.

Outros fatores que ajudariam a resolver o caos fazem parte da iniciativa dos próprios aeroportos, como: ampliação de pistas de pousos e decolagens, melhor gerenciamento de voos evitando congestionamento de horários, entre outros.

Seu direito como passageiro

Voos atrasados ou cancelados – e em situações em que o embarque é recusado, o passageiro lesado tem o direito a uma compensação financeira. O valor vai até R$ 700 por pessoa, dependendo do caso. Você pode reclamar até três anos depois do voo cancelado.

Mas atenção! A compensação de voo não é válida quando acontecem situações extraordinárias, como tempestades, por exemplo.