Aprenda como programar uma viagem com um salário baixo

O que a gente mais ouve falar hoje em dia é não dá para programar uma viagem com um salário baixo. Essa é a desculpa que as pessoas mais dão atualmente. No entanto, o que elas não notam é que dá sim para viajar mesmo ganhando pouco mensalmente.

A questão é sobre o quanto você ganha e sim sobre como você se prepara para isso. Inclusive, muitos milionários já chegaram a afirmar, por diversas vezes, que o importante não é o quanto se ganha, mas sim o quanto se gasta. E essa mesma ideia vale para as viagens.

Então, saiba que não vamos considerar aqui qual é o valor do seu salário mensal atual. Para isso, podemos usar como base o salário mínimo, que é considerado baixo por quase todo mundo. Atualmente, ele passa um pouco dos R$ 1 mil.

A partir disso, vamos descobrir como dá para programar uma viagem com um salário baixo para qualquer canto do mundo. Sim, é isso mesmo que você leu: mesmo ganhando pouco você pode conhecer o mundo, amigo. Do Ocidente ao Oriente. Saiba mais.

A sua fonte de renda

O que você precisa considerar, antes de tudo, é que precisa ter uma fonte de renda para custear a viagem. Ou melhor, para começar a juntar dinheiro para viajar nos próximos dias, meses ou anos. Então, se você está desempregado, saiba que isso vai ser bem mais complexo.

Agora, se você tem uma fonte de renda, mesmo que seja só de um salário mínimo, então, você já tem condições plenas de realizar uma viagem. Ok?

Mais tarde, quando falarmos sobre como guardar o dinheiro ou quanto guardar de dinheiro, você vai ver que existem formas de aumentar a sua renda mensal. Aliás, você pode fazer isso de vários modos, como com trabalhos freelancers.

Mas, o que importa aqui, para início de conversa, é que você tenha uma renda.

O seu objetivo de viagem

O seu segundo ponto a ser pensado é sobre o objetivo da viagem. Isso também faz parte dessa ideia de programar uma viagem com um salário baixo. Portanto, você tem que ser bem focado e bem objetivo, mesmo.

Ir para a Disney. Conhecer o Japão. Viajar para ver o Cristo Redentor. Tudo isso é amplo e vazio demais. Você tem que ser o mais especifico possível. Tenha metas traçadas com base em anos, dias, períodos, destinos, pontos turísticos, etc.

Aliás, o que você tem que ter atenção é para o fato de que você precisa ser muito realista com a sua realidade. Só assim vai conseguir criar uma meta alcançável. Então, nada de dizer que quer ir ver as Olimpíadas do Japão no meio do ano se você ainda não juntou nada.

Por outro lado, você pode começar a pensar em ver os jogos da Copa do Mundo, que é daqui há alguns anos. Então, você terá um bom tempo para juntar dinheiro. E isso começa a ficar muito mais realista com a sua verdade.

O orçamento financeiro

Se você tem uma fonte de renda e também tem um objetivo de viagem, o próximo passo é justamente pensar em como conciliar esses dois pontos. Então, o que você faz? Cria um orçamento financeiro para a sua viagem, que pode ser feito com apps ou planilhas.

É óbvio que os valores serão estimados. Ainda assim, você poderá ter uma boa ideia de quanto vai gastar na viagem. Para isso, vai precisar estudar o assunto e ler conteúdos e fazer simulações também. Tente se lembrar de itens como transporte, hospedagens e passeios. Além da alimentação, obviamente.

Aprenda como criar uma planilha financeira para viagens

A criação desse orçamento vai te mostrar qual será o valor que será gasto, na média e em expectativa, por pessoa na viagem. Então, você também deve considerar o tempo da viagem e quantos serão os passageiros. Sabendo disso, fica bem fácil você saber quanto precisa juntar.

A economia das finanças

Continuando os passos acima, agora que você sabe quanto vai gastar na viagem, resta saber quanto terá que poupar no mês. Por isso é que ser realista consigo mesmo é tão importante. Você precisa de prazo para juntar dinheiro.

Aliás, programar uma viagem com um salário baixo não é simples, mesmo que seja totalmente possível. Assim sendo, você vai ver que uma boa ideia é você conciliar o prazo até que a viagem aconteça com a porcentagem que você pode juntar do seu salário.

É fácil fazer essa conta. Se você ganha R$ 1 mil de salário e pode guardar 10%, então, terá R$ 1,2 mil no ano. O que dá R$ 2,4 mil em 2 anos. E assim por diante. Já se pode guardar 20% do salário, então, terá R$ 2,4 em apenas 1 ano ou R$ 4,8 em 2 anos. E isso muda tudo.

Descubra como investir um salário mínimo para viajar

Agora, se a sua viagem é mais cara do que isso, você pode mudar o tempo e juntar dinheiro por mais meses. Ou você pode mudar o seu destino e escolher um mais barato, por exemplo. Observe que você pode mudar as diretrizes, mas sempre com o planejamento financeiro em vista.

O segredo é a disciplina!

Aprenda como programar uma viagem com um salário baixo

Para finalizar esse conteúdo, saiba que o grande segredo para viajar com um salário baixo é você ter disciplina e paciência. Muitas vezes, a sua viagem vai ter que esperar alguns meses ou anos. Por outro lado, você pode ter que optar por viagens mais econômicas também.

No fim das contas, o que vai importar é a sua dedicação para realizar esse sonho. Afinal de contas, o quanto você quer conhecer a Disney? Aliás, você está disposto a guardar 10% do salário para visitar as terras Maias? Tudo depende de você e da sua disciplina.