Visto de trabalho na França – conheça as 5 opções que existem hoje

Quando o assunto é sobre trabalhar na França, muita gente quer logo saber sobre as profissões mais bem pagas. No entanto, antes disso e de saber os salários pagos lá, a gente deveria é conhecer mais sobre o visto de trabalho na França. É isso que faremos agora.

Mas, se você se interesse pelas profissões e pelos salários, tudo bem, também vamos falar disso nos próximos tópicos. Até mesmo porque hoje em dia há várias formas de conseguir um emprego por lá, como por indicação de amigos, envio de currículo online, etc.

Bom, mas vamos por partes para que o texto fique o mais didático possível para ser entendido. A gente vai começar por falar sobre as áreas com mais vagas de trabalho abertas na França. Depois, sobre salários. E, por último, sobre o visto para trabalhar lá, combinado?

As áreas com mais vagas abertas de emprego na França

Para quem não sabe, aqui temos uma pesquisa que foi feita pelo LinkedIn nesse ano mesmo, de 2020. O relatório tem algumas respostas. Antes disso, saiba que com os Jogos Olímpicos de 2024 marcados para acontecer lá, novos empregos estão sendo criados.

E isso tem a ver com aqueles nas áreas de engenharia, de Tecnologia da Informação, de secretariado, em restaurantes, ligados à arte e outros.

ANÚNCIO

Mas, voltando a pesquisa do LinkedIn, nós temos: técnicos especializados em proteção de dados, engenheiro especialista em inteligência artificial, gerentes e analistas de tecnologia e serviços de informações e, por fim, especialistas em internet.

Por outro lado, também temos vistos empresas que buscam novos profissionais. Por exemplo, agentes imobiliários, executivos de vendas, construção civil, cuidadores de idosos e de crianças, na área de hotelaria, na área de restaurantes e no setor de limpezas.

O salário mínimo que é pago na França

Ainda antes de falarmos do visto de trabalho na França, vamos falar dos salários que são pagos lá. Considere que o salário mínimo francês atual está em 1.539 euros. Ele foi baseado em uma carga horária de 35 horas de trabalho por semana.

Os profissionais mais qualificados ou com mais experiência no mercado podem ganhar mais do que isso. Além do mais, vale a curiosidade de saber que o salário mínimo local está subindo a cada ano que passa e isso acontece desde 2014.

Descubra qual é o atual custo de vida na França para brasileiros

No setor privado, a gente tem uma média anual de um salário médio que fica na casa dos 50,5 mil euros. Se a gente dividir pelos meses, isso vai dar algo como 4,2 mil euros, bem acima do salário mínimo anunciado.

Portanto, se a gente fazer a média do trabalho privado com o serviço público, teremos uma média de 1,7 mil euros. Esse valor é o que corresponde ao pagamento de salário de boa parte da população francesa.

Alguns exemplos

Outra curiosidade é saber que lá os funcionários públicos não possuem ótimos salários como aqui. Outro detalhe é que o Salary Explorer tem alguns exemplos entre as profissões mais bem pagas da França. Confira a listagem com os salários anuais:

  • Secretária – 30,5 mil euros
  • Cuidadora de crianças – 35,4 mil euros
  • Garçom – 35,4 mil euros
  • Fotógrafo – 39,2 mil euros
  • Designer gráfico – 42 mil euros
  • Tradutor bilíngue – 51,7 mil euros
  • Engenheiro civil – 53 mil euros
  • Arquiteto – 53,4 mil euros
  • Analista de negócios – 72,5 mil euros
  • Gerente de hotel – 88 mil euros

Isso nos dá uma boa ideia dos salários pagos lá. Mas, se você não encontrou a sua profissão vale a pena pesquisar no site que citamos acima.

E o visto de trabalho na França?

E para terminar o texto, vamos trazer aqui os 5 tipos de vistos de trabalho que a pessoa poderá solicitar para trabalhar e morar na França. A gente vai explicar cada um deles de forma muito simples, acompanhe. Lembrando que eles podem ser solicitados no Consulado.

Visto de trabalho na França

1 – Visto de Trabalho Comum – é para quem quer conseguir o emprego primeiro e só depois pedir o visto para ir morar na França. Nesse caso, é preciso um convite de trabalho ou o contrato de trabalho assinado pela empresa. Além dos dados da empresa e do novo funcionário.

2 – Visto de Estudante – essa ideia vale para quem vai trabalhar por lá de forma parcial, junto com os estudos. Então, se já morar na França para estudos, você poderá trabalhar parcialmente com o visto de estudante, também.

3 – Visto de Casamento Europeu – é uma ideia para quem quer procurar um emprego já estando na França. Porém, é preciso ter um cônjuge com o visto de lá.

4 – Visto de Férias e Trabalho – é uma opção diferente das outras porque é nova. Ela existe desde 2018 e diz que a pessoa poderá ir para a França sem emprego e procurar um trabalho quando estiver lá.

5 – Visto de Nacionalidade Europeia – a última opção é para quem quer tirar o documento francês, chamado de Titre de Séjour (é um RG francês). Então, será preciso levar uma série de documentos no consulado, como a Carte Vitale.

Assim, a gente termina com uma última curiosidade: saiba que a idade mínima para se aposentar na França é de 62 anos. Além disso, é preciso ter um tempo de contribuição de 41,6 meses para receber a aposentadoria completa.

ANÚNCIO