Confira 5 dicas para comprar dólar para viajar para outro país

Tem muita gente que tem muitas dúvidas que surgem na hora de comprar dólar para viajar para outros países do mundo todo. As principais perguntas são sobre como fazer isso de um jeito mais econômico. E até mesmo sobre a necessidade de comprar a moeda americana.

Se você também está passando por isso ou vai viajar para o exterior nos próximos meses, continue lendo. Aqui vamos tratar de várias dicas importantes para você que vai comprar dólar. E já considerando que essa é a moeda estrangeira mais aceita no mundo todo.

São dicas bastante simples, mas que podem ajudar muito quem vai comprar dólar para viajar.

1 – Quando fazer o câmbio

A primeira questão é sobre quando se deve fazer o câmbio. Algumas pessoas acham que o melhor é fazer antes da viagem. E outras pensam que é melhor fazer isso durante a viagem.

O ideal é a gente pensar que para brasileiros, que moram no Brasil, o mais adequado é pensar sobre o destino da viagem.

ANÚNCIO

Os especialistas avaliam que ir para um lugar onde a moeda é mais forte do que o Real, como os Estados Unidos ou parte da Europa, o ideal é comprar o dólar por aqui mesmo.

Já se o destino for um lugar onde a moeda estrangeira é mais fraca, aí muda-se o cenário. Então, o ideal passa a ser comprar dólar ou euro ou outra moeda nos próprios destinos.

Aí vem uma dica de ouro: toda regra tem exceção. Então, se você for para Buenos Aires, Santigo ou Montevidéu, saiba que nunca se deve levar reais para trocar por lá. Isso se deve a falta de valorização da nossa moeda.

2 – Como fazer o câmbio

Outra dúvida também comum é sobre como fazer essa troca de moeda. E aí vem a dica: o melhor é sempre fazer cotações. Mas, nesse estudo se deve considerar o valor do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que pode estar incluso ou não.

Aliás, na hora de comprar dólar para viajar o ideal mesmo é ver se o lugar é confiável. Tem muitas casas de câmbio que não são e isso tem deixado muita gente com dor de cabeça. Então, considere saber mais sobre essas de câmbio para minimizar os riscos.

Por última, sobre como fazer o câmbio de moedas, vale a pena dizer que existem sites que avaliam as melhores opções. Elas vão desde o uso de papel moeda, de cartões e até mesmo dão listas de corretoras confiáveis.

Agora, ainda considerando esse tópico, vale dizer que é bom evitar fazer trocas de moedas em aeroportos. Isso porque, apesar de serem confiáveis, elas possuem as taxas mais altas do mercado, o que é ruim para o seu bolso, né.

3 – Vale a pena fazer o câmbio

Para quem vai viajar para fora do país, uma questão é sobre quando é válido fazer essa troca de moedas. E o que a gente pode dizer é que em países latino-americanos, como a Argentina, o dólar costuma ser mais aceito no comércio e aí pode-se usar essa moeda mesmo.

Agora, considere que você vai ter que ficar fazendo conversões ao pagar compras, né. Seja na hora de receber o troco ou mesmo transformar dólares em pesos ou em reais e por aí vai.

Além disso, o nosso real também é aceito em grandes cidades de países sul-americanos. Porém, não tem a mesma facilidade que o dólar, que é uma moeda mundial para o turismo. A dica é dar preferência para o dólar.

Já para viagens à Europa, o ideal é levar o Euro e não o Dólar.

4 – Usar o cartão de crédito

Ainda sobre comprar dólar para viajar, tem gente que cogita logo usar o cartão de crédito. Porém, o ponto negativo dessa opção de pagamento é o IOF, que é o imposto sobre operações financeiras. Ele é bem elevado, sendo de 6,38%. Por isso, nem sempre vai ser vantajoso.

Além do mais, com o nosso real bem desvalorizado, isso piora. O motivo é que as compras pagas no exterior usam o dólar como base e isso vai ser usado no fechamento da fatura. O que vai deixar a conta mais alta ainda.

Agora, desconsidere isso se você quer uma forma de pagamento segura ou tem milhas no cartão. Aí, nesses casos pode ser que seja bastante atraente usar o seu cartão no exterior ao invés de fazer o câmbio da moeda estrangeira.

5 – Outros cartões

Para fechar o conteúdo, vale a pena a gente dizer que usar os outros cartões também tem suas vantagens e desvantagens em viagens internacionais. Por exemplo, o cartão de débito também tem o IOF alto, com o mesmo valor. E ainda cobra valores e tarifas para saques, que depende do banco emissor.

A única vantagem frente ao cartão de crédito é que ele tem a cotação no dia da compra, já que ela é feita em débito em conta, né. E não no fechamento da fatura, como acontece com o cartão de crédito.

Nubank ensina como controlar o cartão de crédito fora do país

Já do lado do cartão pré-pago, ele acaba sendo até um pouco mais vantajoso. Isso porque geralmente ele não tem custo e dá para levar o quanto você quiser na viagem. Evitando gastar a mais do que poderia ou deveria. Mas, ele também tem tarifas para saque e o IOF.

Agora, considere que par usar os cartões, independente deles, é preciso notificar a empresa operadora. Ela vai ativar a função de compras no exterior. Ou, em caso contrário, você corre o risco de ter um cartão “não aceito” e passar vergonha ao pagar as compras.

ANÚNCIO