Turismo de conversação ajuda no meio ambiente

35

Viajar é muito gostoso: é possível conhecer novas culturas, povos e lugares. Atualmente, o mundo sofre com os impactos das mudanças de clima e, observando a urgência da questão ambiental, por que não apostar no turismo de conservação?

Ele se torna uma alternativa relevante e a melhor opção para quem deseja aliar usufruir novas geografias e contribuir para a preservação do meio ambiente.

Assim, é possível ainda melhorar a situação social e econômica de uma região que necessita. Conheça mais do Turismo de Conversação com o instituto Ekko Brasil!

Projeto Lontra

O melhor exemplo para falar desse turismo é o Projeto Lontra.

O projeto é uma iniciativa realizada pelo Instituto Ekko Brasil (IEB) e, desde 1989, tem o objetivo de recuperar e conservar a lontra neotropical (Lontra longicaudius) e da ariranha (Pteronura brasiliensis) nos biomas da Mata Atlântica e do Pantanal.

Com esse tipo de turismo dá para que o turista tenha participações ativas para a conservação da biodiversidade; dessa forma envolvendo a comunidade do entorno e aplicando técnicas de educação ambiental com foco na mobilização social.

Econvoluntários

Como o Projeto Lontra é uma iniciativa de uma organização Não-Governamental (ONG), quem costuma participar não é chamado de turista, mas de ecovoluntário.

Basicamente, essas pessoas ajudam em todas as ações que são voltadas às pesquisas sobre os animais que estiverem sendo desenvolvidas naquele momento.

A sede do Projeto fica no litoral de Santa Catarina.

Lá, a equipe ajuda no manejo – desde a alimentação ao estudo do comportamento dos animais em cativeiro. Quando sai para campo, por meio de trilhas e caiaques, os ecovoluntários observam e coletam dados.

Para que tudo seja feito da melhor maneira possível, a equipe é instruída por técnicos especializados, pela comunidade local e por outros voluntários durante o projeto.

Novos conhecimentos são adquiridos o tempo todo e podem ser difundidos e empregados no futuro para melhorar a região de turismo de conservação.

Quem pode se voluntariar?

Quem tiver condições de arcar com os próprios custos pode se voluntariar no projeto, assim é preciso fazer pagamentos de diárias e de translados.

Se você tiver o interesse, uma boa ideia para saber sobre os custos e sobre os requisitos é preencher o formulário do site, que exige dados como nome completo, endereço de e-mail e a formação acadêmica.

Você também vai precisar anexar o seu currículo online. Para fazer isso, acesse o site da Ekko.

Sobre o Instituto Ekko Brasil (IEB)

Criado em 2004, na cidade de Florianópolis (SC), o Instituto Ekko Brasil (IEB) é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP).

O objetivo é coordenar e apoiar projetos que tenham como foco a conservação da biodiversidade e o turismo de conservação.

O IEB atua através da pesquisa e da mobilização social, como forma de contribuir para a melhoria da qualidade de vida das comunidades, deixando um legado positivo às gerações futuras.

O Projeto Lontra tem o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental.