Crédito, Débito ou Pré-Pago – qual cartão levar no exterior?

O cartão de crédito é hoje em dia o meio mais seguro para fazer compras no exterior. Isso porque o dinheiro em espécie tem a vantagem econômica: taxa é de 1,1% na troca da moeda enquanto que a taxa do cartão é de 6,38%.

No entanto, quando se fala em segurança, nem mesmo a economia de dinheiro leva vantagem. Agora, com tantos cartões disponíveis no mundo, qual será que é o melhor para levar em uma viagem ao exterior?

Crédito, Débito ou Pré-Pago – qual cartão levar no exterior?

Para se ter uma ideia, além do cartão de crédito comum temos também o pré-pago, que é uma alternativa nova e muito boa para os dias atuais. Aliás, tem ainda o cartão de débito, que pode ser muito vantajoso do ponto de vista econômico. Confira aí as opções.

1 – O Cartão de Débito

O cartão de débito é totalmente diferente do cartão de crédito. Ele tem a vantagem de que você paga com ele e o valor é descontado na hora. Então, você vai pagar a taxa do câmbio do dia, sem ter que se preocupar com surpresas depois.

Além disso, ele é melhor do que o dinheiro em espécie porque é mais seguro.

E a grande vantagem é que dá para controlar os gastos melhor e de forma mais eficaz porque você só vai gastar o que tem ali, disponível na conta. Enquanto que no cartão de crédito, você gasta até onde vai o seu limite.

Agora, nem todo cartão de débito tem a função internacional. Veja isso no seu banco ou no seu emissor. E se for leva-lo ao exterior, peça a liberação desse serviço antes de partir mundo afora.

2 – O Cartão de Crédito (tradicional)

O cartão de crédito comum já é conhecido na vida de muitos brasileiros. Do ponto de vista de viagens ao exterior, ele também precisa ser habilitado para essa função e costuma gerar benefícios aos viajantes.

Por exemplo, quem participa de programa de pontos pode ganhar muito mais pontos. Além disso, ele é considerado mais seguro do que o dinheiro em espécie e é aceito em muitos países diferentes ao redor do mundo.

O que pega mesmo é o fato de que em cada compra há o imposto cobrado, que para muita gente é considerado alto demais: 6,38% em cada operação financeira que é feita.

Outro ponto que pega é o fato de que ele tem uma taxa de câmbio que não é vista no dia da compra, mas sim no fechamento da fatura. Aí, o cliente pode ter problemas se a variação for maior… Muita gente fica surpreendida com isso.

3 – O Cartão de Crédito Pré-Pago

É como o cartão de crédito comum em quase tudo. O que muda é que para ter o crédito lá, o cliente é que deve fazer a carga inicial, no valor que julgar melhor.

Aí, entra a vantagem: ele só vai gastar o que tem de crédito que colocou e não um limite que foi o emissor que sugeriu. Isso é bom do ponto de vista financeiro, já que permite gastar apenas o que ele tem de saldo.

Mas, as outras regras são iguais ao do cartão comum: taxa de câmbio no fechamento da fatura e imposto de 6,38%, por exemplo.