Entenda o que são FIIs e saiba como ser aquelas pessoas que vivem viajando

Hoje vamos relacionar dois assuntos que têm tudo a ver entre eles: dinheiro e viagens. Até mesmo porque você já deve ter considerado aquelas pessoas que vivem viajando e pensado: “como é que elas arranjam tanto dinheiro assim”? Não é verdade? Então, vamos descobrir.

Aliás, não dá para descobrir porque podem ser vários os motivos. No entanto, a gente pode considerar um deles: investimentos financeiros. Sim, de fato, dá para ter uma renda mensal que vem de investimentos. Assim, você tem uma renda sem ter que trabalhar.

Obviamente, isso torna possível você viajar sem ter que se preocupar muito em entregar o trabalhou ou estar no escritório. Agora, é claro que também quem tem viaja trabalhando e tudo mais. Mas, o foco aqui é para falar sobre essa ideia de viver de renda.

Depois, claro, você pode considerar o que vai fazer com a renda, como realizar viagens incríveis, por exemplo. De qualquer modo, o foco é falar de um investimento: os FIIs. Inclusive, essa é a sigla para Fundos de Investimentos Imobiliários.

O que são FIIs

Assim, nesse primeiro tópico, nós temos a explicação prática do que é esse ativo financeiro. Basicamente, eles são fundos que são compostos por investimentos do setor imobiliário. E não pense que são apenas casas, residências ou apartamentos, ok? Vale todo tipo de imóvel.

ANÚNCIO

Quando for comprar um FII, você deve saber que existem 2 tipos de fundos. Um deles é o de tijolos, que são aqueles que possuem imóveis físicos, como shoppings centers, galpões, hotéis, hospitais, etc. E tem os de papel, que são aplicações, como em LCI ou CRI.

Em um fundo desse, a gente tem várias cotas. E o investidor poderá comprar uma das cotas, que é um papel. Assim, ele se torna dono do imóvel. Ou de parte dele. Também como é comum em fundos, os FIIs possuem gestores ativos, que fazem análises e compras diárias.

O objetivo é um só: conseguir o máximo de retorno possível. O lucro vem dos rendimentos dos ativos e da valorização das cotas. Isso porque os FIIs são negociados na bolsa de valores. Então, quando o papel valoriza, o investidor lucro. E o inverso também vale.

A rentabilidade dos FIIs

Agora, a gente começa a entender porque dá para pensar em FIIs na hora de ser aquelas pessoas que vivem viajando. O motivo é que eles pagam dividendos. Ou seja, são característicos que tenham o pagamento de uma renda mensal ao investidor.

Você não precisa ser um trader para investir dinheiro para as próximas viagens

Logo, se você tem um bom patrimônio investido e lucros, logo, você receberá mensalmente os dividendos, que é dinheiro na conta. Ou você pode ganhar dinheiro ao vender as suas cotas também. No entanto, nesse caso, a liquidez é menor do que em ações.

No fim das contas, saiba que a rentabilidade de um FII vem de vários fatores. Por exemplo, do setor imobiliário, da composição do patrimônio do fundo, do valor das cotas. Mas, saiba que é considerada renda variável, que pode oscilar para cima ou para baixo.

Um ponto interessante é que os imóveis físicos recebem aluguéis e isso também pode valorizar a sua cota. Porém, se houver vacância muito prolongada também pode haver uma diminuição na rentabilidade. Então, são valores que flutuam.

Exemplos!

Com a pandemia, os FIIs tiveram queda, obviamente. Assim como todo mercado da bolsa de valores. Porém, no último ano, em 2019, os resultados foram bons para a maioria deles. Pegamos alguns exemplos para você ter uma ideia de rentabilidade anual.

O FFCI11 teve valorização de mais de 20% e o CPTS11B teve algo acima dos 9% no ano. Se a gente comparar com o CDI, essa rentabilidade é ótima. Porém, como são muitos FIIs, saiba que nem todos possuem resultados tão promissores assim.

Assim, a dica é saber escolher e estudar os FIIs. Obviamente, você pode ser sim as pessoas que vivem viajando a partir de uma renda mensal de FIIs. Só que não é ao comprar qualquer fundo que isso vai acontecer, correto? Em uma próxima matéria, vamos falar dos FIIs que existem.

Aliás, nós criamos outros conteúdos para explicar exatamente sobre as vantagens e as desvantagens dos FIIs. Você pode ler se quiser:

Leia tambémas vantagens de investir em fundos imobiliários para viajar mais

Os custos dos FIIs

Para terminar esse texto, a gente precisa falar dos custos de se investir em FIIs. Considere que existe sim o custo da corretagem, como acontece na compra de ações. Porém, há uma notícia animadora: boa parte das corretoras isentam essa taxa do cliente.

pessoas que vivem viajando

A outra informação é saber que também existe a tributação, que é comum de ser cobrada em praticamente todos (ou quase todos) os investimentos financeiros. Sendo assim, considere que estamos falando do Imposto de Renda. A alíquota cobrada na venda é de 20% dos lucros.

Então, se você fez uma compra de um fundo por R$ 1 mil e depois ele foi vendido por R$ 2 mil, isso quer dizer que você terá que pagar 20% sobre os R$ 1 mil de lucro que teve. Então, será algo como R$ 200 de IR para o governo.

Ficou curioso para saber como investir em FIIs pela corretora? Leia essa matéria!

Para terminar, saiba que ainda tem a questão do risco. Afinal, se a gente fala em bolsa de valores, sabemos que há variações e oscilações no preço e nos valores. No caso dos FIIs, o principal risco é o de volatilidade. Ou seja, o setor imobiliário é influenciado por diversos fatores, como a economia do país, por exemplo.

ANÚNCIO