Dá para pensar em intercâmbio na pós-pandemia? Saiba tudo

O sonho de fazer intercâmbio, que é estudar em outro país, é muito real na vida de vários brasileiros. Mas, a pergunta mais atual é: será que dá para realizar esse objetivo agora? Ou melhor, dá para pensar em intercâmbio na pós-pandemia? Fomos buscar a melhor resposta.

Até mesmo porque a gente tem visto que esses últimos meses foram bastante inesperados e diferentes. Com medidas de isolamento social e regras para cada canto do mundo, as pessoas se viram em uma realidade muito diferente da qual estavam acostumadas.

No caso de viagens, o setor foi bastante prejudicado. O mesmo vale para os intercambistas, que tiveram que se adaptar. Sendo assim, muita gente quer saber se ainda dá para pensar nisso para as próximas temporadas ou se o sonho acabou. Vamos analisar os fatos.

Os pacotes de intercâmbios

Um dos primeiros pontos que vamos analisar tem a ver com as empresas que vendem pacotes de intercâmbio para vários lugares do mundo. O que será que elas estão fazendo e o que esperam para os próximos anos?

André Guimarães é diretor da Wanderlust Intercâmbios e cedeu uma entrevista para um blog da internet. Vamos ver alguns dos comentários dele. Ele conta que a agência manteve os pacotes de viagens para o próximo ano, mesmo os que estavam marcados para 2020.

ANÚNCIO

Ou seja, houve apenas “alteração na data”, mas “sem alteração no valor”. Assim, ele avalia que se caso o cliente precise de mais tempo, também dá para jogar a viagem de estudos para o ano seguinte, 2022. Porém, nesse caso, com atualizações financeiras.

Os países mais procurados

Ainda sobre o assunto de intercâmbio na pós-pandemia, considere que André fez um estudo e verificou que os países que são tendências continuam os mesmos. “Sem mudanças radicais por conta da pandemia”, ele avalia.

Assim, o que houve foi uma mudança nas preferências que vem acontecendo há alguns anos. Por exemplo. Os Estados Unidos já não é o país mais buscado para viagens de estudo e nem mesmo de trabalho. Outros, por sinal, têm ganhado mercado.

Curiosidade – se mesmo assim você tem o objetivo de ir para os Estados Unidos, saiba que a gente tem uma matéria que cita as cidades mais baratas para intercâmbio de lá. Se você está curioso, considere que elas são: Athens, Tallahassee, Luis Obispo e tem outras. Por exemplo, Auburn, que fica no Alabama, tem clima ameno e fica do lado das praias da Carolina do Sul ou da Flórida. Leia e descubra tudo.

“Países como os Emirados Árabes, a Austrália e a Nova Zelândia são os mais procurados mesmo antes da pandemia. Isso porque houve uma mudança no perfil de quem busca esse estudo. Logo, são países que aceitam autorização de estudo e trabalho”.

E ele também lembra que se for o caso de um tempo de viagem menor, em um intercâmbio de curta duração, a cidade de Londres, na Inglaterra tem a preferência do público brasileiro. Depois, vem o Canadá, que está em alta há bastante tempo, ele afirma.

Os cuidados para as viagens

André também comenta sobre os cuidados que as pessoas devem ter e procuram saber antes de fazerem esse intercâmbio na pós-pandemia. Na visão dele, o seguro privado de saúde se tornou ainda mais necessário.

Ele conta que além de serem obrigatórios em alguns países, agora com as novas medidas eles são em praticamente todos. “Por exemplo, em Dubai, que antes não exigia o seguro e agora exige”, avalia.

Assim, ele conclui a ideia de que esse pode ser um bom momento para fechar um pacote de viagem de intercâmbio para vários países. O motivo que ele vê é que grande parte das escolas estão com descontos no pagamento. Além da flexibilidade de parcelamentos.

“Planejando com antecedência, o cliente terá tempo para pagar o pacote todo. E isso inclui maior número de parcelas. Isso porque estamos levando em conta que a viagem vai acontecer a partir do segundo semestre de 2021”.

Dá para fazer intercâmbio de casa também

Se você não se lembra, saiba que recentemente nós publicamos uma matéria mostrando que dá para fazer intercâmbio sem sair de casa. Como? Existem diversos aplicativos que permitem a comunicação e o aprendizado com nativos da língua inglesa e outros idiomas.

Por exemplo, o Tandem é um dos mais usados. Ele funciona exatamente como um intercâmbio virtual, que permite praticar a língua. Nele, as conversas são categorizadas. E dá para se comunicar por escrita, por áudio ou também por vídeo.

intercâmbio na pós-pandemia

E tem outros, como o Hello Talk, o Travello, o Talk Life, o Travel Buddy e o Abblo. Quer conhecer mais sobre os detalhes desses programas para celulares? Leia a nossa matéria, que a gente mostra como dá para aprender até mesmo russo ou japonês sem sair de casa.

Leia também – ecoturismo será tendência dos viajantes

Sobre o assunto das viagens, não necessariamente para falar do intercâmbio na pós-pandemia, saiba que uma nova tendência tem se apresentado no mercado: o ecoturismo. E a explicação é óbvia: fugir de aglomerações.

Além do mais, esse é um tipo de viagem que permite observar e curtir a natureza. O que pouca gente sabe é que no próprio Brasil há destinos assim. Por exemplo, a Chapada dos Veadeiros (GO), Presidente Figueiredo (AM), Itacaré (BA), Jericoacoara (CE).

Já para quem busca uma viagem internacional de ecoturismo, a melhor ideia é pensar em países como Costa Rica, Canadá, Chile e até mesmo nas Ilhas Malvinas.

ANÚNCIO