Saiba tudo sobre a harmonização de vinhos com alimentos – e sobre taças também

Você também é alguém curioso para saber sobre a harmonização de vinhos com alimentos? Aqui nesse blog de viagens, percebemos que há vários leitores que amam essa bebida. Por isso, falar sobre a harmonização é de grande interesse.

O mais legal dessa matéria é que não vamos falar apenas de como combinar o vinho com o alimento. Mas, também vamos citar pontos importantes sobre a degustação e até mesmo o uso das taças corretas. Aliás, não se preocupe é um conteúdo bem simples e para leigos, também.

Afinal de contas, você não precisa ser um especialista em vinhos para se comportar bem em uma pizzaria italiana ou na hora de acompanhar a sua bistecca com uma taça, né? Logo, algumas regras são simples e fáceis, confira abaixo.

Um pouco da história do vinho

Antes de qualquer coisa, vamos considerar que falar do vinho é muito bacana porque o assunto interage com temas bíblicos, da mitologia e muito mais.

Por exemplo, na Bíblia, a gente já ouviu falar da mudança da água para o vinho, não é mesmo? Nesse caso, a ideia é que a mudança pode ser positiva. Historicamente, outra coisa é saber que o vinho é o símbolo mitológico do prazer, da alegria e da comemoração.

ANÚNCIO

Para os historiadores da mitologia grega, considere que Dionísio era considerado o deus das festas. Dessa forma, também representava e protegia o vinho, que, por sua vez, era a bebida era importante para aquela civilização.

Sendo assim, hoje em dia, saber sobre como harmonizar o vinho, usar a taça correta e degustar a bebida é uma maneira também ligada ao mundo dos negócios. Por isso, você deveria conhecer mais do tema.

E para concluir esse artigo de forma bastante profissional, nós buscamos algumas informações da Andréa Staciarini, que atualmente trabalha como consultora de etiqueta.

Outros conteúdos sobre vinhos

Curiosamente, considere que falar sobre a harmonização de vinhos com alimentos surgiu de outros conteúdos que fizemos recentemente sobre essa bebida. Sendo assim, as matérias que publicamos tiverem um ótimo retorno dos leitores, que se interessam por tal bebida.

Por exemplo, a gente já chegou a falar sobre “como transportar vinhos em um voo de avião para o Brasil”, que acaba sendo uma das dúvidas mais frequentes do brasileiro que vai para o Chile, Argentina e até mesmo alguns países europeus.

Inclusive, sobre esses países, a gente mostrou como fazer a produção artesanal. Para isso, citamos uma espécie de passo a passo que inclui a colheita das uvas, o processo da prensagem, a fermentação natural do vinho, o transporte e tudo mais.

Por último, mais recentemente, a gente também citou vinhos através de um conteúdo que fala sobre a Vinícola Marchese di Ivrea, que é uma espécie de fazenda que fica no interior de São Paulo e permite as pessoas conhecer a Itália sem sair do estado.

A harmonização de vinhos com alimentos

Sobre essa parte do texto, que pode ser a mais importante do texto para você, considere que não tem muito segredo. Por isso, há uma tabela que explica e representa as melhores dicas – que servem para todos, de qualquer parte do mundo. Então, confira a tabela que montamos.

Carne vermelhaTintos médios, tintos encorpados
Queijos e molhos cremososBrancos, espumantes, rosés, tintos leves
AvesBrancos, espumantes, rosés e tintos leves
Peixes e moluscosBrancos, espumantes, rosés
Carneiro, porco, vitelaTintos encorpados e tintos leves
ChurrascoTintos encorpados e tintos médios
BacalhauBrancos encorpados e tintos leves
Doces e sobremesasEspumantes e vinhos fortificados

E qual taça é a melhor?

Além de conhecer o básico sobre a harmonização de vinhos com alimentos também é importante que você conheça algumas regras de etiqueta sobre as taças que devem ser usadas nesses momentos.

Assim, para os viajantes, considere que o restaurante indica a taça correta para o vinho. Porém, nem sempre isso acontece.

Além do mais, a gente pode considerar ainda uma ocasião diferente e até mesmo mais particular, como um jantar de negócios na empresa. Então, para casos como esse, o ideal é observar que o tamanho da taça será específico para cada tipo de vinho. Veja mais:

Taça para espumante – essa taça é chamada de flute. Nesse caso, ela tem o bojo alongado e mais fechado para manter a perlage (borbulhas) por mais tempo.

Taça para água – essa mais conhecida e geralmente se difere das outras por tamanho ou por cor. Geralmente, é maior e às vezes colorida ou sem haste.

Taça para vinho tinto – esse tipo de taça é ideal para vinho branco ou rosé. Sendo assim, a taça para o tinto deve ser transparente para a apreciação da cor e características da bebida.

Taça para vinho branco ou rosé – por último, considere que essa taça é um pouco menor do que a taça para o tinto, pois os aromas são mais delicados.

Curiosidade – como segurar a taça

A haste da taça está ali por um motivo. Logo, ela serve para a pessoa segurar ela. Então, não se deve segurar no bojo do copo. No entanto, isso também tem explicação: a temperatura das mãos interfere na temperatura da bebida – e não é deselegante do ponto de vista das etiquetas.

Aliás, tem mais um detalhe importante: durante o brinde, caso a pessoa esteja sentada longe de você, apenas eleve gentilmente a taça na direção dela. Para isso, “faça contato visual e um discreto gesto de simpatia. Logo, não convém levantar-se se a pessoa não fizer menção de fazer o mesmo”.

E na hora de degustar o vinho?

Na degustação não tem muito segredo também, se não seguir alguns preceitos. Por isso, o vinho espumante só se serve acima do meio da taça e os demais são abaixo do meio do bojo.

harmonização de vinhos com alimentos

“Não é preciso ser grande conhecedor de vinhos e de etiqueta para agir de maneira elegante e inteligente em uma negociação. No entanto, o conhecimento abre portas, estreita laços e conecta pessoas”.

ANÚNCIO