Aprenda como escolher um cartão de crédito para viagens

Quando você vai escolher um cartão de crédito para viagens, o que você costuma analisar? Os pontos que eles dão? O custo da anuidade? A facilidade em trocar os pontos? O banco emissor do produto? Saiba que tudo isso é importante.

E foi pensando em todos esses pontos que a gente criou este conteúdo. Abaixo, você encontra informações pertinentes sobre os cartões de créditos que estão sendo disponibilizados atualmente no mercado.

Se você é alguém que viaja com frequência, considere que o cartão pode ser uma boa ideia para você. Só que você não deve esquecer de que, como todo produto financeiro, o cartão de crédito também tem custos. E, por isso, todo cuidado é pouco.

MILHAS AÉREAS

A primeira coisa para escolher um cartão de crédito para viagens é pensar nas milhas ou nos programas de pontos e recompensas que esses cartões de crédito atualmente possuem.

A gente sempre diz que não é tão inteligente usar o cartão de crédito em viagens ao exterior. Isso porque ele tem um IOF (imposto sobre operações financeiras) caro demais. No entanto, se você tem milhas aéreas ou pontos, talvez, ele compense essa perda.

O ideal é você começar por analisar como acumular as milhas no cartão. Há opções que são bem simples, como os programas da Gol (Smiles Fidelidade) e da Latam (Multiplus).

Ao se pensar nessa opção de milhas, saiba que ao usar o cartão para compras, o cliente acumula pontos. Depois de um certo tempo e de pontos, ele pode trocar por milhas e ganhar descontos em passagens ou outros benefícios.

Aí, o próximo passo vai ser encontrar os cartões que tem mais milhas ou que dão mais pontos. Alguns bons exemplos são aqueles infinite, platinum, black, entre outros. Por outro lado, é preciso ficar atento aos custos, como vamos falar nos próximos tópicos.

Milhas Aéreas – aprenda como ganhar dinheiro com os pontos do cartão

BÔNUS

Também vale a pena citar que alguns cartões dão bônus apenas por você ter o cartão. Então, esse também pode ser um diferencial para quem quer acumular milhas mais rapidamente. Atente-se a esse tipo de benefício que alguns cartões possuem para quem viaja muito.

Aprenda como escolher um cartão de crédito para viagens

ANUIDADE

Agora vem um dos pontos mais importantes na hora de escolher um cartão de crédito para viagens. Isso porque a anuidade do cartão é algo que pode corroer o seu orçamento financeiro. E, se assim for, não adianta escolher o cartão que mais milhas dá.

Leve em conta que existe uma condição bastante comum no mercado financeiro: cartões com mais benefícios custam mais caro. E esse custo é chamado de anuidade. Geralmente, as anuidades podem ser parceladas mensalmente.

Agora, o que você precisa considerar é o custo-benefício do cartão. E não apenas o custo ou apenas o benefício, obviamente. Saiba que para um cartão com anuidade alta valer a pena, você vai ter que usar mais dos benefícios dele.

Afinal, do que adianta ter um cartão que custa R$ 600 se você não usa nada dele? Por outro lado, talvez seja uma boa opção se você acumula milhas e consegue passagens aéreas de graça, certo? Comece a estudar as possibilidades.

TAXAS

Um outro ponto a ser estudado tem a ver com as taxas de juros do cartão de crédito. Isso porque, de um modo geral, o cartão é o produto com maior taxa do mundo. Assim, muitos brasileiros estão envidados por conta dele.

Logo, nem sempre vai ser inteligente solicitar o cartão apenas pensando na sua viagem ou nas suas viagens. O ideal é que você confira a tabela de tarifas, que todo emissor é obrigado a oferece aos interessados em ter o produto.

Esse custo também deve ser incluído no seu estudo de melhor cartão de crédito, assim como a taxa de anuidade. Saiba que do mesmo jeito que é preciso ter benefícios, os custos não devem corromper o seu orçamento financeiro.

RESGATE

O último tópico que vamos analisar aqui é sobre o resgate dos pontos ou das milhas ou das recompensas. Saiba ver também que nem sempre é fácil conseguir isso. Portanto, não adianta você achar que aquele é o melhor cartão se ele não facilita as coisas.

Existem cartões que existem muitos pontos para serem resgatados. Mas, com um tempo muito curto. Assim, você nunca consegue fazer o resgate. E isso é um baita de um problema. Comece a estudar, portanto, sobre o resgate dos pontos e recompensas.

Por outro lado, há programas que permitem o acúmulo de pontos mais rapidamente e também permitem a troca dos pontos em qualquer época do ano. Isso pode ajudar o cliente na hora que ele vai viajar sem ficar preso à uma ou outra data.

Portanto, como falamos em toda parte do conteúdo, o ideal é estudar as várias opções de cartões para viajar que se tem no mercado. Lembrando que os benefícios são muitos, mas também existem taxas e anuidades para serem analisadas.

Saiba Mais – 5 pontos para cada dólar gasto

Para fechar este conteúdo, saiba que recentemente a gente criou um conteúdo falando sobre um dos cartões de crédito que são indicados para quem viaja. É o Credicard Black. Ele possibilita 5 pontos para cada dólar gasto.

E como falamos sobre a anuidade também, saiba que dá para ter a isenção dessa taxa. Mas, para isso é preciso cumprir um requisito: acumular R$ 6 mil de gastos mensais na sua fatura. Ficou interessado? Para saber mais sobre esse produto, acesse a matéria.

Conforme a tabela de tarifas da Credicard, o custo anual desse cartão black é de R$ 780. Isso para o titular, já que para o adicional, o custo será de metade desse valor.

E ele ainda pode incluir as taxas bancárias, como o PIS e COFINS de 4,65% e o ISS, que varia de 2% a 5%. E tem tarifas que podem ser cobradas caso sejam contratados novos serviços. Uma delas é a do Serviço de Aviso por SMS, que custa R$ 5,5 mensais.

E para falar na Credicard, você pode acessar a vários canais de comunicação. Um dos principais é o telefone, através do 4090-1100 ou do 0800-770-1100. Também dá para mandar mensagens através do aplicativo gratuito da empresa.

Lembrando que a Credicard está inscrita no CNPJ 01.425.787/0033-83. Ela fica sediada em Barueri, no interior de São Paulo. O endereço de lá é Av. Marcos Penteado de Ulhoa Rodrigues, 939.