Saiba como é o ecoturismo no Caparaó (MG) com alojamentos de bambu

O ecoturismo é o que tem feito de Caparaó, na divisa entre Minas Gerais e o Espírito Santo, um lugar incrível e totalmente sustentável. Portanto, se você gosta de um roteiro de viagem em meio a natureza tem que considerar esse lugar.

Por lá, até mesmo os alimentos são sustentáveis, já que vem de um sistema agroflorestal.

Já quanto ao bambu, ele é usado para a bioconstrução. Sendo um elemento que se acrescenta à madeira, barro, vidro e outros materiais que são aproveitados de forma reciclável.

Saiba como é o ecoturismo no Caparaó (MG) com alojamentos de bambu

Entenda mais sobre como isso tudo funciona. E por que esse é um lugar incrível para colocar na sua lista de próximos roteiros de viagens dentro do Brasil.

A Aldeia Alegria

A Aldeia Alegria é uma das pioneiras nesse trabalho de bioconstrução na região que fica próxima ao Parque Nacional do Caparaó. E no início, a ideia era muito mais simples: regenerar a Mata Atlântica.

“A Aldeia Alegria é uma referência em formas de ocupação sustentável hoje em dia. Queremos que os visitantes façam mais conexões, além de dormir e se hospedar por aqui”, conta Marcius Cardoso.

Ele afirma que até a água que é usada volta de forma tratada para natureza. “Queremos mostrar que existe possibilidade de usar materiais alternativas que ficam bonitos e com conforto”.

O rústico e o moderno

“Fazemos algo que parece rudimentar, mas que pode ser visto como moderno. Aliás, não tem nada de moderno fazer coisas de forma sustentável”, diz.

Ele conta também que para a ocupação de todo espaço, eles usam os materiais de forma a construir lugares confortáveis e que não agridem a natureza.

Com essa ideia de hospedagem natural e sustentável, a Aldeia tem 4 suítes e 2 bangalôs, sendo que um deles é atração principal por ser feito todo de bambu.

Para quem não sabe, a construção civil que tem o bambu como matéria-prima é muito usada em países asiáticos.

“Quando pensam em bambu, as pessoas só lembram de cadeiras. Mas, aqui mostrarmos que dá para fazer casas também”.

Workshop

Além da visitação e hospedagem, o lugar também está oferecendo uma oportunidade de curso de férias. Que é para quem quer conhecer mais do assunto, seja da construção com bambus ou do ecoturismo.

Os moradores do entorno podem fazer o curso gratuito também, já que há uma parcela aberta para uma espécie de “bolsistas”. Já para quem vai pagar, o valor é de R$ 350 e dá direito à hospedagem e alimentação.

Os interessados podem ligar no (28) 99919-1393 ou (28) 99959-7833.

Curiosidade – Parque Nacional do Caparaó

O Parque Nacional do Caparaó, que foi citado nessa matéria, também é uma ótima ideia de turismo. Ele fica aberto ao público durante todo o ano e funciona das 7 horas às 18 horas com ou sem a pernoite.

Ele é muito bem aconselhável para os adeptos ao montanhismo, já que tem o terceiro maior ponto mais alto do Brasil, que é o Pico da Bandeira. Ele tem quase 3 mil metros de altura.

E também tem outras atrações, como áreas florestais, caminhadas, campos, etc. Saiba mais no site do ICMBio.