3 itens importantes na formação do preço da passagem aérea… E você nem sabia!

104

A democratização do uso do transporte aéreo e a competição entre as companhias aéreas são bons indícios para que os preços das passagens aéreas abaixem cada vez mais. No entanto, há itens que corroem essa ideia.

Por exemplo, os impostos. No Brasil, a cobrança de impostos é muito significativa e representa uma grande fatia do preço final do tíquete. Por exemplo, apenas o ICMS do combustível representa 8% do valor final.

Conheça outros 2 itens que são importantes para formar o preço da passagem aérea e tenha mais conhecimento sobre isso, levando em conta que há propostas que podem beneficiar o bolso do passageiro. Descubra.

1 – Os Impostos

Os impostos são os principais “problemas” na formação do valor da passagem aérea porque ele significa uma boa fatia disso. E o resultado você já sabe: as vezes, dá a impressão que viajar para a Europa é mais barato do que para o nordeste brasileiro.

A questão é que o Brasil sempre foi um país que cobra muito imposto dos cidadãos e isso reflete também nos tíquetes de avião. Então, considere, por exemplo, o ICMS – que é cobrado sobre o valor do combustível.

Ele é incidente apenas em voos domésticos, só que a taxa pode ser de até 25%, dependendo do estado, o que é um valor bastante alto. No total do valor da passagem aérea, o ICMS pode representar 8% do custo.

Agora, apesar de termos citado o ICMS, saiba que existem outros custos de impostos que são cobrados e que tem importância na formação do preço da passagem de avião. Há tarifas até mesmo para o pouso no aeroporto e as conexões.

2 – A Manutenção

A manutenção da aeronave também tem seu custo. Isso porque trata-se de um veículo com muitos detalhes e muitos itens de segurança, sempre visando o bem-estar do passageiro.

Portanto, para desfrutar dos voos é preciso ter a garantia da segurança e isso custa caro. Tem o salário da equipe de comissários, por exemplo. E a infraestrutura das companhias. Tudo isso pesa no preço final.

Algumas empresas já até tentaram mudar isso para que o bilhete ficasse mais barato para o consumidor. Como a Gol, que teve a alternativa de não cobrar o serviço de bordo, que era de uso opcional para os voos domésticos.

3 – A Bagagem

Até mesmo o peso da bagagem influencia na formação do valor da passagem aérea. Se você não sabia dessa, anota aí: o valor da bagagem é diluído no preço de todas as passagens disponíveis para o voo.

Em países do exterior, para se ter uma ideia, apenas a bagagem de mão é gratuita.

Mas, há uma proposta que está sendo estudada pela ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – que desregulamenta as franquias das bagagens. Com isso, o valor da tarifa pode diminuir para quem não despacha bagagens, o que seria juto.